Outros

 Com o objetivo de entender os caminhos para concorrer a recursos federais que propiciem o desenvolvimento da cultura popular, dezenas de pessoas participaram, nesta quinta-feira (21), de uma oficina que teve como palestrante o assessor do Ministério da Cultura em São Paulo (MinC), Henry Durante.

Para tranquilizar os participantes, em sua maioria pessoas ligadas às áreas de danças folclóricas, música, artes plásticas e artesanatos – Durante explicou que de forma didática as pessoas entendem que podem concorrer, que o concurso é feito para elas, pois é muito simplificado. “Maior risco é a pessoa achar que não é feito para ela e o Ministério da Cultura é um dos poucos que tem ações como essa, aonde o rerecurso chega nas mãos das pessoas. Temos casos de mestres de cultura que, às vezes, nem estudou em escola” .

Ainda conforme ele, o objetivo do concurso é valorizar, preservar e difundir as iniciativas das culturas populares.

A explanação trouxe luz a participantes como Adélia Soares Nunes, contramestre da Cia de Moçambique, de Caraguatatuba, que contou ter ficado empolgada com a oficina porque há várias categorias que podem ser inscritas no concurso. “O Moçambique, o Samba de Tambor são passados de geração e geração e com o valor do prêmio, com certeza podemos investir muito mais no resgate dessa tradição”.

“Um curso como este mostra aos artistas locais que é possível concorrer a um prêmio e não há motivo para apreensão ou receio”, disse o vencedor do prêmio Mestre da Cultura Popular de 2017, Evaldo Pereira, morador de São Sebastião que fez questão de assistir a palestra.

Prêmio

O Ministério da Cultura vai premiar quem trabalha diariamente para fortalecer e dar visibilidade a atividades culturais de todo o Brasil, como o cordel, a quadrilha, o maracatu, o jongo, o bumba meu boi e o cortejo de afoxé, entre muitos outros.

O 6º Prêmio Culturas Populares vai destinar R$ 10 milhões a 500 iniciativas culturais de mestres, mestras, grupos e instituições privadas sem fins lucrativos.

Esta edição também reconhecerá ações em acessibilidade cultural. Cada um dos vencedores vai receber R$ 20 mil, o dobro do ano passado.

A cultura popular e tradicional é o conjunto de criações que emanam de uma comunidade, expressas por grupos que reconhecidamente respondem às expectativas da comunidade enquanto afirmação de sua identidade cultural e social.

As inscrições podem ser feitas até 6 de julho, pela internet ou via postal.  O edital, as fichas de inscrição e o manual de orientações aos candidatos estão disponíveis no endereço eletrônico: http://culturaspopulares.cultura.gov.br/