Telefone

12 3897-5660

E-mail

contato@fundacc.sp.gov.br

Horário de funcionamento

Seg - Sex: 8h às 17h30

O Projeto “Prata da Casa” da Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba retorna suas atividades nesta sexta-feira (10), às 20h30, com uma apresentação especial na Praça Cândido Motta do músico Montemor que canta Caetano em homenagem aos 50 anos da Tropicália.

Fernando Montemor é músico de formação popular e começou a se apresentar em bares e restaurantes da cidade de Presidente Prudente, em 1990. É formado em regência de bandas e fanfarras pela Secretaria Municipal da Educação de São Paulo, sendo também fundador do Coral Municipal Cellina Pellizzari, de Ilhabela, e do Chorus Vocalis, de Caraguatatuba.

Hoje Montemor atua como regente do Chorus Vocalis, mas continua os trabalhos como músico de MPB. Por isso, sua homenagem ao Cinquentenário do Movimento Tropilalista.

O Tropicalismo foi um movimento de ruptura que sacudiu o ambiente da música popular e da cultura brasileira entre 1967 e 1968. Seus participantes formaram um grande coletivo, cujos destaques foram os cantores-compositores Caetano Veloso e Gilberto Gil, além das participações da cantora Gal Costa e do cantor-compositor Tom Zé, da banda Mutantes, e do maestro Rogério Duprat.

A cantora Nara Leão e os letristas José Carlos Capinan e Torquato Neto completaram o grupo, que teve também o artista gráfico, compositor e poeta Rogério Duarte como um de seus principais mentores intelectuais.

Os tropicalistas deram um histórico passo à frente no meio musical brasileiro. A música brasileira pós-Bossa Nova e a definição da “qualidade musical” no País estavam cada vez mais dominadas pelas posições tradicionais ou nacionalistas de movimentos ligados à esquerda. Contra essas tendências, o grupo baiano e seus colaboradores procuram universalizar a linguagem da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial, como o rock, a psicodelia e a guitarra elétrica.

Prata da Casa

Criado em 2012, o projeto “Prata da Casa” contempla artistas solos, grupos e bandas caiçaras, desde inéditos até aqueles que já fazem parte do cenário musical da cidade, buscando valorizar o talento local. As apresentações são concentradas na Praça Cândido Motta.

Na próxima sexta (17), a música na praça ficará por conta do Clube do Choro de Caraguá.

Mais informações pelo site fundacc.sp.gov.br ou pelo Facebook (facebook.com/fundacc).

O Projeto “Prata da Casa” da Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba retorna suas atividades nesta sexta-feira (10), às 20h30, com uma apresentação especial na Praça Cândido Motta do músico Montemor que canta Caetano em homenagem aos 50 anos da Tropicália.

Fernando Montemor é músico de formação popular e começou a se apresentar em bares e restaurantes da cidade de Presidente Prudente, em 1990. É formado em regência de bandas e fanfarras pela Secretaria Municipal da Educação de São Paulo, sendo também fundador do Coral Municipal Cellina Pellizzari, de Ilhabela, e do Chorus Vocalis, de Caraguatatuba.

Hoje Montemor atua como regente do Chorus Vocalis, mas continua os trabalhos como músico de MPB. Por isso, sua homenagem ao Cinquentenário do Movimento Tropilalista.

O Tropicalismo foi um movimento de ruptura que sacudiu o ambiente da música popular e da cultura brasileira entre 1967 e 1968. Seus participantes formaram um grande coletivo, cujos destaques foram os cantores-compositores Caetano Veloso e Gilberto Gil, além das participações da cantora Gal Costa e do cantor-compositor Tom Zé, da banda Mutantes, e do maestro Rogério Duprat.

A cantora Nara Leão e os letristas José Carlos Capinan e Torquato Neto completaram o grupo, que teve também o artista gráfico, compositor e poeta Rogério Duarte como um de seus principais mentores intelectuais.

Os tropicalistas deram um histórico passo à frente no meio musical brasileiro. A música brasileira pós-Bossa Nova e a definição da “qualidade musical” no País estavam cada vez mais dominadas pelas posições tradicionais ou nacionalistas de movimentos ligados à esquerda. Contra essas tendências, o grupo baiano e seus colaboradores procuram universalizar a linguagem da MPB, incorporando elementos da cultura jovem mundial, como o rock, a psicodelia e a guitarra elétrica.

Prata da Casa

Criado em 2012, o projeto “Prata da Casa” contempla artistas solos, grupos e bandas caiçaras, desde inéditos até aqueles que já fazem parte do cenário musical da cidade, buscando valorizar o talento local. As apresentações são concentradas na Praça Cândido Motta.

Na próxima sexta (17), a música na praça ficará por conta do Clube do Choro de Caraguá.

Mais informações pelo site fundacc.sp.gov.br ou pelo Facebook (facebook.com/fundacc).

Posts Relacionados