Outros

A Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba se despede nesta terça-feira de uma das suas principais colaboradora. Aglaê Magalhães Daniel, conhecida carinhosamente por Kaká, morreu, vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

No alto dos seus 56 anos ainda era uma menina, vista na sua doçura e ingenuidade, como os amigos lembraram.

A presidente da Fundacc, Silmara Mattiazzo, se lembra de como ela era assídua e participativa nas atividades da fundação. “Uma poetisa, amiga, ativista que hoje se despede e vai declamar sua poesia no céu”.

Difícil quem não se lembra dela trabalhando na Biblioteca Municipal servindo a todos com carinho e atenção. Quantos alunos ainda não se lembram do cheiro do livro que ela tinha o cuidado de pegar?

Sim, ela sabia de todos os livros que tinham no espaço onde trabalhou por anos tendo como chefe a então bibliotecária e depois presidente da Fundacc, Maria José Vicentini, mais que uma amiga, uma irmã. “Ela era muito eficiente, parecia ter um chip na cabeça. Sabia tudo o que tinha na biblioteca”

Essa convivência durou de 1993 a 2010 e quando saiu? Era mais forte que ela que sempre que podia estava lá,  em meio às folhas,  às suas poesias,  afinal,  como não amar as palavras?

Presença constante na Fundacc, Kaka fazia questão de participar da Comissão Setorial de Literatura,  dos  concursos de poesia.

Seu  nome está em diversas coletâneas e agora será imortalizado no livro ‘Máscaras de cada 1” que  escrevia com a amiga Regina Nascimento há dois meses.“Ele está para ser editado e será uma homenagem para a doçura da Kaká”.

A coordenadora de Literatura da Fundacc, Mara Amaral, lembra de como gostava de fazer acróstico com o nome das pessoas. “Era uma artista plástica, fã de Chiquinha Gonzaga e Maísa, pois sua mãe falava muito nessas cantoras”.