Outros

 

Casa do Caiçara e fabricação de farinha são tradições na festa (Foto JC Curtis/Fundacc)

A famosa Casa do Caiçara se tornou um dos ícones da Festa do Camarão. Montada todo ano, ela reproduz a casa dos antigos pescadores da cidade  feita de barro amarelo, bambu, pontalete de eucalipto e pente de piaçava, ela tem 108 metros quadrados, com direito a fogão de lenha e forno para torrar farinha.

Durante este Festival, caiçaras estão dentro da famosa casa para receber turistas e moradores e vender comidas típicas, como café feito no coador de pano e no fogão à lenha, bolo caipira, paçoca, além da Casa da Farinha, que será comandada pela Família Gonzales, tendo à frente o casal Ailton e Dulcinéia.

Os visitantes podem ouvir a história da farinha de mandioca e conferir a exposição de todo o maquinário utilizado para a sua confecção, com demonstração de todo o seu processo ao lado da Dona Maria Ortiz, que desde os seus 8 anos de idade fabrica a farinha ao lado da mãe.

Dona Maria explica que o processo tem que ser realizado no mesmo dia, “porque a mandioca solta muitos gazes e acaba azedando”. Ela explica que a mandioca precisa ser descascada, prensada e fica no forno para torrar por cerca de 3h. “Conforme ela vai torrando, vai ficando mais fininha. O ponto é quando ela começa a se tornar amarelinha”.

Já seu Ailton Gonzalez, um dos responsáveis pela barraca, explica a forma correta de ‘socar’ a paçoca. “É preciso socar em uma posição só, pois quando vamos socando ela vai subindo e caindo novamente, deixando a paçoca homogênea”.

O Festival do Camarão é realizado pela Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba -, tem o propósito de ser fonte de renda para a comunidade pesqueira, com exclusividade aos pescadores de camarão do entreposto de pesca da Praia do Camaroeiro e reúne os saberes da tradição local, não somente por meio da gastronomia, mas também por meio do artesanato identitário e outras manifestações culturais e registros audiovisuais do cotidiano da vida caiçara.