Outros

Marcos Abranches, dançarino desde 1998, apresenta nesta terça, às 20h30, no auditório Maristela de Oliveira, que fica na sede da Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba, o espetáculo “D… Equilíbrio”. Inspirado pelo livro Canto dos Malditos de Austrégesilo Carrano Bueno, o dançarino teve a ideia de criar o espetáculo.

Com o diagnóstico de paralisia cerebral, Abranches reflete a relação entre o equilíbrio e desequilíbrio dentro de sua parcialidade de movimentos, oscilando o corpo, para despertar o vazio e o isolamento causado pelo desequilíbrio.

Marcos Abranches se define como diferente. “Não me considero deficiente. Essa palavra não existe no meu vocabulário. Deus me fez diferente, me fez justamente para ser um dançarino contemporâneo”.

Ele começou a se interessar por dança através do padrasto que trabalhava como sonoplasta do Balé da Cidade de São Paulo. “Cada espetáculo que eu via, sentia uma coisa especial”.

Com a convivência, o coreógrafo Sandro Borelli chamou Marcos Abranches para a gravação de uma poesia de Augusto dos Anjos. Tempos depois, o dançarino passou por uma audição e entrou para o balé.

Marcos explica que começou a andar com 10 anos de idade, mas estava desenganado pelos médicos e se não fosse pela força de vontade de sua mãe, talvez estivesse em uma cadeira de rodas.

Como mensagem para quem está passando por algo parecido ele deixa a frase “Tenha muita força, muita fé e força no pensamento. O pensamento te leva a ter forças”.