Oficinas CulturaisFotos: JC Curtis/Fundacc

A Prefeitura de Caraguatatuba e a Fundacc – Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba reinauguram nesta sexta-feira (12), às 10h, o Centro Cultural do Alto do Jetuba ‘João Paulo dos Santos’. A mais nova unidade fica à Rua José Garcia da Fonseca (antiga Benedito Jesuíno), 699, e vai atender mais de 300 aprendizes. A entrega faz parte das comemorações dos 162 anos do município.

A presidente da Fundacc, Silmara Mattiazzo, destaca que o Centro Cultural foi totalmente reformado para atender a comunidade que pedia atividades para crianças e jovens. “A proposta do prefeito Aguilar Junior é promover essa descentralização dos serviços para que possa alcançar a todos”.

Dessa forma, podem participar das oficinas de balé baby class, balé e dança infantil, dança adulto, dança de salão, violão, teatro e capoeira, moradores dos bairros Alto do Jetuba, Jardim Santa Rosa (Morro do Chocolate) e Jardim Capricórnio.

Homenageado

Ele tinha apenas 17 anos quando partiu. No tempo que lhe foi permitido ficar na terra, o jovem João Paulo dos Santos conquistou a todos com seu carisma, disciplina e técnica.

E pelo muito que fez levando o nome de Caraguatatuba por onde esteve hoje dá nome ao Centro Cultural do Alto do Jetuba, bairro para o qual se mudou com os familiares quando tinha apenas 4 anos.

Filho de Sandra Aparecida da Silva Santos e Francisco Sérgio dos Santos, ele era o terceiro de sete irmãos. Os familiares contam que desde pequeno mostrou entusiasmo pelo futebol. “Muitas vezes levava bronca porque não queria parar nem para almoçar enquanto jogava bola”, relata a mãe.

Em 2005, após participar de uma peneira em Caraguá, foi convidado para treinar no Internacional de Porto Alegre. Um sonho realizado, mas faltava dinheiro para tal empreitada.

O pai, policial militar e sabedor dos sonhos e habilidades do filho, fez o chamado ‘Livro de Ouro’ onde passou por comércios, prefeituras, amigos para conseguir os recursos. A avó paterna foi escalada para acompanhá-lo porque os pais trabalhavam e ainda tinham outras crianças menores.

No Rio Grande do Sul, veio a notícia triste. Ao fazer os exames clínicos foi constatado que o jovem atleta, promessa do futebol, tinha problemas cardíacos e não poderia ficar.

De volta a Caraguatatuba, teve início uma bateria de exames onde foi constatado que tinha miocardiopatia hipertrópica – doença do músculo cardíaco na qual uma porção do músculo do coração está hipertrofiada (mais grosso) sem nenhuma causa óbvia, criando uma deficiência funcional no miocárdio.

No dia 24 de outubro deste mesmo ano passou pelos últimos exames no Instituto Dante Pazzanelli. No mesmo dia retornou para casa onde comemorou o aniversário de uma das irmãs.

No dia seguinte, de volta à rotina, seguia para a escola com a namorada e amigos e, ao subir no ônibus, foi vítima de um infarto que o levou ao óbito.

No pouco tempo que esteve presente, deixou seu legado. Um ano depois recebeu homenagem do então prefeito José Pereira de Aguilar, dando nome à 12ª edição da Copa da Criança. Agora, é eternizado pela Prefeitura e Fundacc no bairro que o recebeu de braços abertos.