Outros

O Ministério da Cultura (MinC) lançou o Edital de Seleção Pública Culturas Populares: Edição Selma do Coco, com inscrições abertas até o dia 13 de junho de 2018. Este ano, serão investidos R$ 10 milhões – valor recorde – em 500 iniciativas que fortaleçam e contribuam para dar visibilidade a atividades culturais de todo o Brasil, como cordel, quadrilha, maracatu, jongo, cortejo de afoxé, bumba-meu-boi e boi de mamão, entre outras.

A cultura popular e tradicional é o conjunto de criações que emanam de uma comunidade, expressas por grupos que reconhecidamente respondem às expectativas da comunidade enquanto afirmação de sua identidade cultural e social.

Essa edição vislumbra a possibilidade de se pensar a cultura popular na perspectiva da circularidade cultural, propondo um diálogo entre a erudição e o popular e entre o tradicional e o moderno nas manifestações culturais da sociedade, partindo‐se do ponto de vista das interferências mútuas entre essas vertentes.

A Cultura Popular permanece tendo como traço central o tradicional e uma busca pela sua preservação, mas abre‐se uma nova perspectiva, permitindo que se possam acompanhar os percursos da sociedade que hoje se traduz de diferentes formas,seja por meio da língua, da literatura, da música, da dança, dos jogos, da mitologia, da religiosidade, dos rituais, das festas, dos festejos, dos costumes, do artesanato, da arquitetura, da medicina popular, da culinária, dos novos ritmos, das formas de expressão plástica dentre outras, desde que emanadas da coletividade.

Em 2017, o  artesão Jonatas de Campos Bueno, conhecido por Joca, 37 anos, de Caraguatatuba, foi um dos contemplados no Prêmio Culturas Populares – Leandro Gomes de Barros – promovido pela Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura. Dos 200 selecionados, ele ficou na 35ª posição e recebeu R$ 10 mil, além de ser considerado mestre por manter vivo o patrimônio da cultura popular do país. O objetivo da premiação foi estimular uma das maiores riquezas, a cultura feita pelo povo do Brasil.

Homenageada

Selma do Coco nasceu Selma Ferreira da silva, em Pernambuco. Em 2008, a coquista foi agraciada com o título de Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco, um reconhecimento pelo trabalho desempenhado no âmbito da cultura pernambucana. Em agosto de 2010, foi homenageada pelo Ministério da Cultura e pelas comemorações dos 22 anos da Fundação Palmares, como uma das divas da cultura negra brasileira (Afro-brasileira), na área do segmento artístico, perdendo apenas, em votação online, para Chica Xavier. Selma do Coco faleceu em 9 de maio de 2015.

Para saber mais sobre como se inscrever acesse o link: http://culturaspopulares.cultura.gov.br