Outros

A Secretaria Especial da Cultura do Ministério da Cidadania está com inscrições abertas para a 7ª Edição do Edital Culturas Populares que em 2019 homenageia Vitor Mateus Teixeira, o Teixeirinha. Serão destinados R$ 5 milhões para 250 iniciativas que visam fortalecer e dar visibilidade a atividades da cultura popular e tradicional de todo o Brasil.

O Ministério da Cidadania compreende que essa atividade possibilita se pensar a cultura popular e tradicional na perspectiva da circularidade cultural, propondo um diálogo entre a erudição e o popular, e entre o tradicional e o moderno, nas manifestações culturais.

O edital possibilita a construção e afirmação de novas identidades, que evidenciam o novo lugar social que esses criadores buscam afirmar, ao mesmo tempo em que preservam seu legado cultural, o qual uma vez inserido às novas linguagens que surgem para além de sua respectiva comunidade, se afasta a possibilidade de seu esquecimento.

As inscrições podem ser feitas de 24 de junho a 16 de agosto, pela internet ou via postal. Na edição de 2019, as iniciativas individuais serão premiadas em R$ 20 mil cada. Os prêmios estão divididos em: 150 iniciativas de Mestres e Mestras (pessoas físicas); 90 iniciativas de pessoas jurídicas sem fins lucrativos com finalidade ou natureza cultural expressa em seu estatuto, já reconhecidas como Pontos de Cultura ou cadastradas na Plataforma Rede Cultura Viva; e 10 iniciativas de pessoas jurídicas sem fins lucrativos com finalidade ou natureza cultural expressa em seu estatuto, já reconhecidas como Pontos de Cultura ou cadastradas na Plataforma Rede Cultura Viva e que comprovem ações em acessibilidade cultural.

Já foram realizadas seis edições anteriores, com aproximadamente 11 mil inscritos e mais de 2 mil iniciativas premiadas, com recursos R$ 28,7 milhões distribuídos nas cinco regiões do País.

Em 2017, o artesão Jonatas de Campos Bueno, conhecido por Joca, 39 anos, de Caraguatatuba, foi um dos contemplados no Prêmio Culturas Populares – Leandro Gomes de Barros – promovido pela Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura. Dos 200 selecionados, ele ficou na 35ª posição e recebeu R$ 10 mil, além de ser considerado mestre por manter vivo o patrimônio da cultura popular do país.

O artesão usa matérias-primas como folha de bananeira, fibras, embaúba, taboa, pandano, entre outros produtos para produzir chapéus, bolsas, acessórios, enfeites para confeccionar seus produtos.

Cultura Popular

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) define Cultura Popular como “o conjunto de criações que emanam de uma comunidade cultural, fundadas na tradição, expressas por um grupo ou por indivíduos e que reconhecidamente respondem às expectativas da comunidade enquanto expressão de sua identidade cultural e social”. Engloba folclore, cultura oral, cultura tradicional e cultura de massa.

Entre manifestações da cultura popular brasileira já registradas – ou em processo de registro – como patrimônio imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) estão: Literatura de Cordel, Frevo, Bumba meu boi, Jongo, Fandango Caiçara, Tambor de Crioula, Congadas de Minas, Cocos do Nordeste e Marujada de São Benedito.

Homenageado

“Minha música tem cabeça, barriga e perna”, dizia Vitor Mateus Teixeira, o Teixeirinha, sobre o porquê de ser tão conhecido e adorado pelo público. O gaúcho, que ficou órfão aos nove anos de idade, nunca chegou a ter educação formal, aprendeu com a vida. E foi compartilhando esse aprendizado por meio de seus filmes, das letras de suas mais de 700 canções, que ele tocou o coração do povo e se tornou um ícone da cultura popular do Rio Grande do Sul e, por que não, do Brasil.

Para mais informações acesse o site: https://fundacc.sp.gov.br/7a-edicao-do-edital-culturas-populares-teixeirinha/