Outros

A partir deste semestre o projeto passará a realizar suas atividades no Centro Integrado de Ações Sociais e Culturais do Perequê-Mirim

O Projeto Guri – Polo Fundacc (Fundação Educacional e Cultural de Caraguatatuba) atenderá a partir deste semestre em novo endereço. O projeto, que antes ocupava parte do prédio do Centro Cultural do Sumaré, passará a realizar as suas atividades no CIASC (Centro Integrado de Ações Sociais e Culturais) do bairro Perequê-Mirim, região sul da cidade.
As matrículas para novos alunos terão início no dia 30/1 (segunda-feira). Há vagas para aulas de canto coral, clarinete, contrabaixo acústico, eufonio, flauta transversal, percussão, saxofone, trombone, trompete, viola clássica, violino e violoncelo. As aulas, com uma hora de duração cada, são realizadas nas terças e quintas-feiras, das 13h30 às 18h.
Os interessados em participar das aulas oferecidas devem ter entre 8 e 18 anos de idade e não é necessário ter conhecimento musical prévio, nem possuir instrumento ou realizar testes seletivos.
No ato da inscrição é necessária a entrega dos seguintes documentos: cópia da certidão de nascimento ou do RG do aluno, cópia do RG da mãe, pai ou responsável legal, declaração escolar original que comprove que o interessado estude no período da manhã e comprovante de endereço, também original.
O CIASC do Perequê-Mirim está localizado na Av. José da Costa Pinheiro Junior, nº 2161. Mais informações: (12) 3897.5661 ou 3887.2721.

Sobre o Projeto Guri 
Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes.
Atualmente, mais de 50 mil alunos são atendidos por ano em 410 polos de ensino distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os cerca de 360 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social.
A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu mais de 600 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

Acesse: www.projetoguri.org.br