Teatro

Pelo menos 570 pessoas visitaram, no domingo (23), a IX Rota Gastronômica do Cambuci e XI edição no Núcleo Caraguatatuba realizada no Parque Estadual da Serra do Mar (PESM). O evento foi considerado um sucesso entre a direção e expositores. A Fundacc – Fundação Educacional e Cultural marcou presença com a Orquestra Estrela D´Ouro e o Coletivo Teatral Saturnália que contou a lenda do fruto rico na Mata Atlântica. A Secretaria Municipal do Turismo, da Prefeitura de Caraguatatuba, levou exposição de fotos da cidade.

Para o gestor do PESM – Núcleo Caraguatatuba – Miguel Nema Neto, o evento superou todas as expectativas.  “Durante todo o dia recebemos visitantes. A orquestra foi sensacional, animou e fez as pessoas dançarem. O teatro também teve um público excepcional”, analisou.

O passeio à Trilha do Jequitibá, com cerca de um quilômetro, também encantou quem aproveitou o dia para conhecer um pouco mais sobre as belezas do parque e a natureza que o rodeia.

Caso de Ana Elisabete Lima, 36 anos, moradora em Caraguá, que ainda não conhecia o local. “Isso é muito lindo. Quero vim com mais tempo e com calor para ficar no poção (cachoeira) e passear mais”.

Licores, bolo de rolo, sorvete, sequilhos, bolo, molhos. Uma variedade de produtos à base de Cambuci foi apresentada para os visitantes que tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre este fruto que esteve à beira da extinção e hoje serve como geração de renda para a comunidade que vive no entorno do PESM, cercada pela Mata Atlântica.

De acordo com Miguel Nema, o objetivo do evento foi mesmo mostrar que é possível produzir sem explorar outros produtos como o palmito da Palmeira-juçara, que tem sido ilegalmente extraído das Unidades de Conservação.

Ainda como opções e ricas na Mata Atlântica, o gestor lembra que os produtores também levaram produtos à base dos furtos da Palmeira-juçara, Uvaia e de Grumixama.

A Uvaia, Uvalha ou Uvaieira ganha a cada dia mais fãs no mundo da alimentação saudável. Pode ter entre 6 m a 13 m de altura, 30 cm a 50 cm de diâmetro e ocorrendo nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Além de ter uma forma bela e flores lindas, proporciona um fruto delicioso e super nutritivo.

Já a Grumixama é prima da pitanga e também conhecida como grumixaba, grumixameira, cumbixaba, ibaporoiti. Ela ocorre do sul da Bahia até Santa Catarina.

Sua fruta, saborosa e rica em antocianinas, fica ótima em compota, sucos e geleias e, melhor ainda, comida no pé, in natura. Esta frutinha cor de vinho, quando madura, é rica em antioxidantes, com elevados teores de vitaminas C, B1, B2 e flavonoides.

A fruta da grumixama também é usada na produção de aguardentes, vinagres e licores e sua madeira é adequada para uso na marcenaria e carpintaria, ideal para ser trabalhada em torno, por sua densidade e textura firme.